RESULTADO DE BUSCA
RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS E A FORMAÇÃO CONTINUADA JUNTO AOS NEABS: SUBSÍDIOS PARA OS(AS) PROFESSORES(AS) DE HISTÓRIA
Autor Principal: Daniela Pinheiro de Oliveira        Co-autores: Paula Anunciação
Resumo: Este trabalho trata de um tema pouco abordado na literatura educacional, que é o de discorrer sobre a necessidade de implementar a formação dos(as) professores(as) de história, numa perspectiva crítica e emancipatória, por meio da análise e das contribuições dos Núcleos de Estudos Afro-Brasileiros. Os movimentos sociais que, a partir da década de 1970, potencializaram suas ações no cenário nacional, vêm impactando intensamente o processo de formação de professores, nos seus aspectos inicial e continuado. Deste modo, a dinâmica social exige dos(as) professores(as) de história novas competências e habilidades que, muitas vezes, não foram construídas quando de sua formação inicial. A metodologia da presente escrita envolve pesquisa bibliográfica e pesquisa documental, com o intuito de evidenciar o que dispõe a Lei Federal nº 10.639/2003, que contribui na prática docente dos(as) professores(as) de história na confluência da conscientização para uma educação étnico-racial. Este artigo busca relacionar algumas categorias importantes da concepção de Paulo Freire – a conscientização e a educação como prática da liberdade – ao papel dos Núcleos de Estudos Afro-Brasileiros (NEABs) que, vinculados a algumas Instituições de Ensino Superior do Brasil, objetivam a formação continuada dos professores, no âmbito do ensino, da pesquisa e da extensão, incentivando e acompanhando as políticas de ações afirmativas, a cultura afro-brasileira, africana e indígena no combate às desigualdades raciais e ao racismo.,
Palavras-chave: Formação continuada. Fazer docente. Racismo.
Modalidade: Pesquisa em Andamento Eixo: Eixo 10 - Formação Docente Inicial e Continuada

Estatísticas:
7
acessos
3
downloads
0
citações

Ações:
Download

BibTex

Compartilhar



FALE CONOSCO