RESULTADO DE BUSCA
O OUTRO LADO DA RODOVIA RIO-SANTOS: QUANDO AS FRONTEIRAS DA BELEZA NATIVA ESBARRAM NO DESCASO COM O EQUIPAMENTO PúBLICO.
Autor Principal: Alessa Regina Carnietto        Co-autores: Adrieli Cristina Carnietto, Lourenço Magnoni Júnior
Resumo: As incessantes chuvas ocasionadas pela tipificação de clima e relevo da Mata Atlântica em São Sebastião exigem investimento e preparo para precaução, monitoramento e tomadas de atitudes assertivas em situações de deslizamentos, todavia a vivência relatada neste artigo sugere que no lugar de amparar seus munícipes a esfera municipal toma atitudes paliativas ineficazes para respostas rápidas e não funcionais aos beneficiários de seus serviços. Este trabalho pautou-se em relatar a experiência de uma participante natural e uma participante observadora acerca da situação singular apresentada em uma escola municipal do bairro de Juquehy, que suspendeu as atividades dos educandos de Ensino Fundamental I por cerca 40 dias em março de 2016. O retorno às aulas deu-se numa situação emergencial de substituição espaço físico de alvenaria por aluguel de containers. Os problemas apresentados e analisados aqui, compreendem falta de infraestrutura, local quente, inapropriado e não arejado; ruídos e muito barulho no desenvolvimento da rotina pedagógica; falta de espaço; falta d´água; inundações; limpeza inapropriada. Enquanto, o foco dos gestores e da Secretaria da Educação Municipal foi exclusivamente cumprir os 200 dias letivos propostos pela Lei de Diretrizes e Bases. Ao final da pesquisa é possível constatar o descaso político, a falta de informação das verdadeiras condições de funcionamento de equipamento público a comunidade e uma equipe gestora e pedagógica engessada para a resolução de problemas. ,
Palavras-chave: precariedade predial. intempéries. dias letivos.
Modalidade: Pesquisa em Andamento Eixo: Eixo 2 - Políticas e Práticas no Ensino Fundamental

Estatísticas:
11
acessos
8
downloads
0
citações

Ações:
Download

BibTex

Compartilhar



FALE CONOSCO