RESULTADO DE BUSCA
O DIREITO DE BRINCAR NO PROCESSO DE TRANSIÇÃO DA EDUCAÇÃO INFANTIL PARA O ENSINO FUNDAMENTAL
Autor Principal: NATASCHA CAROLINA DE OLIVEIRA GERVÁZIO        Co-autores: JOSÉ ROBERTO BOETTGER GIARDINETTO, Elaine Regina Cruz Ortega
Resumo: O brincar, linguagem fundamental da infância, é concebido como atividade central do processo de ensino e aprendizagem no início da Educação Básica. Considerando que na educação brasileira contemporânea a criança conclui a Educação Infantil com 5 anos e ingressa no Ensino Fundamental com 6 anos de idade, é fundamental que os sistemas de ensino chamem para si a responsabilidade de acolher e promover de maneira consciente essa necessidade básica, organizando tempo e espaço para que seja contemplada e não negligenciada, sob o risco de prejudicar o desenvolvimento integral dos alunos. A pesquisa tem como metodologia a pesquisa documetal com fundamentação teórica, a partir do pressuposto histórico-cultural de Vigotski, o presente artigo tem como objetivo identificar as bases legais e curriculares que dão ao brincar o status de direito de aprendizagem, e promover uma reflexão consciente sobre como este direito vem sendo garantido no processo de transição de um nível para outro. O levantamento da legislação educacional e documentos de caráter normativo nos leva à conclusão de que, embora essa atividade seja preocupação central na Educação Infantil, no Ensino Fundamental não há clareza do ponto de vista legal e normativo que garanta que esse direito não seja colocado em segundo ou terceiro plano em nome de outras exigências consideradas mais importantes.,
Palavras-chave: Brincar. Direito de Aprendizagem. Transição. Educação Infantil. Ensino Fundamental.
Modalidade: Comunicação Científica Eixo: Eixo 1 - Políticas e Práticas na Educação Infantil

Estatísticas:
10
acessos
6
downloads
0
citações

Ações:
Download

BibTex

Compartilhar



FALE CONOSCO